Em nosso escritório de arquitetura você pode encontrar os serviços de Projetos de Arquitetura e Complementares, Construção Civil, Reformas de CasasConstruções e Reformas de Piscinas, Manutenções Prediais e outros.                                                                                                                                                                                                                                                                   

Conheça a nossa FANPAGE!

 

Endereço: QSB 09, LOTE32 - Taguatinga Sul - DF.

Contato: (61) 98528-3262

Funcionamento segunda a sexta-feira das 9:00 as 18:00 horas aos sábados das 9:00 as 14:00

email: rrarquiteturaereforma@gmail.com

Aprenda Como Fazer - Jardim Vertical!

January 7, 2017

 

Olá, o intuito deste artigo no meu blog, possui o cunho especifico de apresentar de uma maneira simples, os tipos de jardins verticais e de plantas a serem utilizados de uma maneira de que até um engenheiro como "EU" possa entender...

 

Vamos lá... No decorrer dessa nossa vida incrivelmente agitada, acaba gerando um estresse do dia a dia, e também as cidades cada vez mais urbanizadas, mais concretadas, mais cinzas, os jardins verticais surgem como uma solução para a falta de espaço para áreas verdes nas cidades, para aquelas pessoas que querem trazer um pedacinho da natureza para dentro do seu lar.

 

Com isso, os jardins verticais têm conquistado espaço no paisagismo brasileiro. Suas aplicações se dão tanto nas paredes internas como em muros externos. Os sistemas podem possuir irrigação automatizada por gotejamento ou o cuidado pode ser feito manualmente, dependendo do tamanho.

 

Em primeiro lugar, devemos saber que um jardim vertical típico não comporta plantas com grandes raízes ou com raízes agressivas. Pois estas além de não terem espaço para crescer, ainda podem acabar danificando a estrutura de suporte. Outro motivo para se evitar grandes raízes, incluindo árvores e arbustos é o peso demasiado da planta e do substrato correspondente sobre a estrutura. Mas, nada impede que se crie um jardim com árvores e arbustos, a questão é que esta escolha deve ser feita antes mesmo da construção do prédio, para que se calcule adequadamente a carga a mais que essas plantas vão adicionar.

 

Outro fator que deve ser levado em consideração é a incidência de ventos e luz solar direta. Em jardins verticais localizados em fachadas de prédios por exemplo, o sol e os ventos intensos podem ser impeditivos para muitas espécies. Assim, deve-se evitar plantas com grande necessidade de água, como também plantas com folhagem macia e delicada. No entanto, jardins verticais protegidos e em locais semi-sombreados permitem espécies que não se adaptariam às condições anteriores.

 

As plantas também devem preferencialmente ser perenes. Do contrário, o jardim demandará manutenção constante, o que é contrário aos princípios de sustentabilidade que andam junto com os jardins verticais. No entanto, há uma situação em especial que pede jardins verticais com plantas anuais, aqueles destinados à cultura de plantas hortícolas, sendo estas, sem sua grande maioria plantas anuais. Nestes jardins há que se cuidar que às plantas estejam ao alcance das mãos.

 

 

Para obtermos um jardim vertical bem denso e fechado, de forma que a estrutura não apareça, deve-se escolher plantas pendentes a semi-pendentes, ou com folhagem prostrada a arqueada. Sempre tendo em mente espécies bem cheias, com ramos ou folhas que saem da base.

 

De forma geral, é uma boa saída escolher plantas epífitas ou rupícolas para jardins verticais. Estas plantas, geralmente se adaptam muito bem às condições de pouco substrato, ventos e outras adversidades. Outras opções bem interessantes são forrações rústicas, que muitas vezes são úteis em acrescentar um colorido diferente ao jardim. Lembre-se que uma boa parte do custo de um jardim vertical pode vir da aquisição das plantas, que por serem perenes, tendem a ser um pouco mais caras. Não será nada bom ter que substituir uma parte delas após um tempo de implantação, principalmente se o jardim estiver situado em local de difícil acesso.

 

Leve sempre em consideração, na escolha das plantas, à disponibilidade de água e a frequência de irrigação possível. Assim não corre o risco de plantar samambaias, onde possivelmente só podem viver cactos.

 

Vejamos logo a seguir os tipos de plantas a serem utilizados.

 

Espécies de Plantas para Jardim Vertical – Sol Pleno:
  • Aspargo-pluma (Asparagus densiflorus)

  • Barba-de-serpente (Ophiopogon jaburan)

  • Brilhantina (Pilea microphylla)

  • Colar-de-pérolas (Senecio rowleyanus)

  • Clorofito (Chlorophytum comosum)

  • Flor-canhota (Scaevola aemula)

  • Flor-de-coral (Russelia equisetiformis)

  • Hera-inglesa (Hedera helix)

  • Jibóia (Epipremnum pinnatum)

  • Lambari-roxo (Tradescantia zebrina)

  • Orquídea-grapete (Spathoglottis unguiculata)

  • Liríope (Liriope spicata)

  • Tilândsia (Tillandsia sp)

  • Trapoeraba-roxa (Tradescantia pallida purpúrea)

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Espécies de Plantas para Jardim Vertical – Meia Sombra:
  • Antúrio (Anthurium andraeanum)

  • Asplênio (Asplenium nidus)

  • Babosa-de-pau (Philodendron martianum)

  • Barba-de-sepente (Ophiopogon jaburan)

  • Bromélia (Guzmania sp)

  • Columéia-peixinho (Nematanthus wettsteinii)

  • Chifre-de-veado (Platycerium bifurcatum)

  • Chuva-de-ouro (Oncidium sp)

  • Dedo-de-moça (Sedum morganianum)

  • Dinheiro-em-penca (Callisia repens)

  • Falenópsis (Phalaenopsis x hybridus)

  • Flor-batom (Aeschynanthus radicans)

  • Flor-de-maio (Schlumbergera truncata)

  • Liríope (Liriope spicata)

  • Peperômia (Peperômia scandens)

  • Rabo-de-gato (Acalypha reptans)

  • Ripsális (Rhipsalis bacífera)

  • Renda-portuguesa (Davalia fejeensis)

  • Samambaia (Nephrolepis exaltata)

  • Singônio (Syngonium angustatum)

  • Vriésia (Vriesea sp)

     

     

     

     

 

Agora que sabemos os tipos mais comuns de plantas a serem utilizadas, vejamos agora as técnicas de jardins verticais mais usuais:

 

Técnica Wall Green

 

O sistema Wall Green é vendido em kits, que deve ser montado por um sistema de encaixe e forma uma estrutura com capacidade para receber 18 plantas. O sistema modular é do tipo faça você mesmo, e você pode compor jardins verticais ou horizontais, da maneira que preferir.  A estrutura é de plástico injetado e pode ser fixada em diferentes tipos de superfícies. 

 

Blocos Pré-Moldados

 

Na gama de tipo de tijolos em nosso mercado, podemos usa-los também no conceito jardins. Podemos realiza-los em linear, paralelo ou até mesmo em zigue-zague, dependendo muito do gosto e o detalhe e que todos podem ser realizado em jardins verticais tanto quanto horizontais. 

 

 

Treliças e Vasos

 

Para construir este jardim vertical é necessário primeiramente chumbar uma treliça metálica à parede ou muro. Depois disso é só pendurar vasos meia lua à treliça. A treliça metálica precisa ser tratada para resistir às intempéries. Se o jardim for grande e alto, será preciso investir em um sistema de irrigação. Também pode ser utilizada a tela de alambrado, que já vem pronta e tratada, para utilizar este método.

 

 

Técnica PET

 

Essa técnica reutiliza garrafas plásticas para compor um lindo jardim vertical.  A sugestão é ideal para casas que não têm grandes áreas para jardins. Além disso, se torna também uma solução para os resíduos, que deixam de ser descartados e ganham uma utilidade diferente da original. As garrafas ficam suspensas, amarradas em cordas de varais. 

 

 

Depois dessa montanha de informações, vamos ver nesse vídeo de uma maneira simples de se fazer com paletes de madeira, é bem interessante!!!

 

 

As imagens e vídeos foram retirados do google.